Futebol - Internacional

Libertadores - 1998

O time vinha da conquista do Brasileiro de 97, mas perdeu duas de suas mais importantes peças, os atacantes Edmundo e Evair. Até engrenar na competição, com momentos eternizados na memória dos vascaínos, como o gol de Juninho contra o River Plate, o time comandado pelo técnico Antônio Lopes teve algumas dificuldades, principalmente na primeira fase.

INÍCIO COMPLICADO E REAÇÃO NA COLINA

O Vasco iniciou sua campanha sem vencer nos três primeiros jogos, todos fora de casa. Na primeira partida, derrota por 1 a 0, contra o Grêmio, em Porto Alegre. Na segunda rodada, nova derrota por 1 a 0, desta vez contra o Chivas-MEX, em Guadalajara. No terceiro jogo, um início de reação: empate por 1 a 1 com o América, na Cidade do México.

INVENCIBILIDADE NOS CLÁSSICOS BRASILEIROS NO MATA-MATA

Nas oitavas e quartas de final, o Vasco fez clássicos nacionais com Cruzeiro e Grêmio, respectivamente, e teve um ótimo desempenho. No primeiro jogo contra os mineiros, em São Januário, vitória por 2 a 1. Na partida de volta, no Mineirão, a equipe segurou o empate em 0 a 0 e avançou na competição.

O "GOL MONUMENTAL" NA "FINAL ANTECIPADA"

O River Plate era considerado um dos times mais fortes do continente e tinha jogadores como Sorín, Ayala, Solari, Gallardo e Aimar. O duelo, então, foi encarado como uma final antecipada, e o Vasco fez mais uma vez de São Januário sua grande arma. No primeiro jogo, em São Januário, Donizete marcou a decretou a vitória por 1 a 0.

Na Argentina, o River saiu na frente com o gol de Sorín, até que Juninho saiu do banco de reservas para escrever seu capítulo mais especial na história no clube. Aos 37 minutos do segundo tempo, o meia acertou uma cobrança de falta perfeita, surpreendeu o goleiro Burgos e o Vasco se classificou com o empate em 1 a 1. Anos depois, a torcida imortalizou o feito na música em que enaltece o "Gol Monumental" do Reizinho

MULTIDÃO NA COLINA E A GUERRA NO EQUADOR - A HORA DE LEVANTAR A TAÇA

Na grande final, São Januário recebeu o maior público da década. Oficialmente, 36.273 pagantes, que viram uma atuação segura na vitória por 2 a 0. O resultado deu tranquilidade para o time decidir o título no Equador, mas não seria fácil levantar a taça.

Os equatorianos criaram um clima muito hostil em Guayaquil, com recepção com pedradas no ônibus, fumaça e som alto dentro do vestiário. Dentro de campo, no entanto, a superioridade vascaína falou mais alto, e o time venceu mais uma, desta vez por 2 a 1. O capitão Mauro Galvão levantou a taça.

Campeão

Esta quinta-feira (26/08) é uma data marcante para os 113 anos do Clube de Regatas Vasco da Gama. Há exatamente 12 anos, o Gigante da Colina conquistava a América. Em 1998, no ano do centenário do clube, o Vasco venceu a Taça Libertadores, fato que nenhum outro clube brasileiro conseguiu realizar na temporada dos seus 100 anos de existência. Após alcançar o tricampeonato brasileiro em 1997, a equipe vascaína buscava conquistar a América exatamente 50 anos depois de vencer de forma invicta o primeiro campeonato Sul-Americano de clubes.

Apesar de um começo desanimador, ao perder dois jogos e empatar um nas três primeiras partidas disputadas fora de casa, os vascaínos conquistaram sete pontos dos nove disputados, sempre com a ajuda da torcida, que lotava o caldeirão de São Januário. Nas oitavas-de-final, o Vasco passou pelo Cruzeiro, nas quartas-de-final eliminou o Grêmio, e na semifinal passou pelo River Plate, da Argentina, de forma monumental. Veio a final contra o Barcelona de Guayaquil, do Equador, e no primeiro jogo em casa, venceu por 2 a 0.

No jogo decisivo, disputado em Guayaquil, na casa dos equatorianos, outra vitória, dessa vez por 2 a 1. Final de jogo, e a América estava aos pés de um Gigante. O Vasco da Gama conquistava a Taça Libertadores no ano do seu centenário.

Confira abaixo a campanha vascaína:

1º Jogo - Grêmio 1x0 Vasco

2º Jogo - Chivas Guadalajara 1x0 Vasco

3º Jogo - América do México 1x1 Vasco - Gol de Ramon

4º Jogo - Vasco 3x0 Grêmio - Gols: Luizão (2) e Donizete

5º Jogo - Vasco 2x0 Chivas - Gols: Luizão (2)

6º Jogo - Vasco 1x1 América do México - Gol de Richardson

Oitavas-de-final - Vasco 2x1 Cruzeiro - Gols: Luizão e Donizete

Oitavas-de-final Voltar - Cruzeiro 0x0 Vasco

Quartas-de-final - Grêmio 1x1 Vasco - Gol de Pedrinho

Quartas-de-final Volta - Vasco 1x0 Grêmio - Gol de Pedrinho

Semi-final - Vasco 1x0 River Plate - Gol do Donizete

Semifinal Volta - River Plate 1x1 Vasco - Gol de Juninho

Final - Vasco 2x0 Barcelona- EQU - Gols: Luizão e Donizete

Final Volta - Barcelona- EQU 1X2 Vasco - Gols: Luizão e Donizete

VASCO DA GAMA CAMPEÃO DA LIBERTADORES DA AMÉRICA DE 1998


Fonte: Supervasco
Atualizado em: 25/08/2018 11h23
Libertadores

1 títulos ( 1998 )